Total de visualizações de página

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Hello Kitty dolls!

Uma pessoa vai inocentemente à papelaria comprar um revista (por causa de um livro - já contei isso anteriormente) e dou de caras com bonequinhas da Hello Kitty:


OMG! Quero todas! Vêem nos pacotinhos. Vem a boneca e um livrinho.


São várias bonecas relativas a vários países.


Confesso que não morri de amores por esta mas, como não dá para escolher vou continuar a insistir!

domingo, 23 de abril de 2017

On Sundays...

... lately I'm going to theater.

Hoje não vai ser diferente!

Hoje vou ter uma companhia diferente. Vou ao teatro ver a peça «Mais respeito que sou tua mãe!» com a minha mãe. Ofereci-lhe bilhetes pelo seu aniversário para irmos as duas ver esta peça que tem o Joaquim Monchique na personagem de mãe.

Esta peça já teve em cena e eu lembro-me que a queria ir ver mas, que acabei por não ir. Quando me apercebi que estava de volta pensei logo que não a queria perder! E assim acabei por fazer esta surpresa à minha mãe!


Sinopse:

"A mãe de família e dona de casa mais desesperada da Baixa da Banheira e de Portugal está de volta nesta nova versão de Mais Respeito Que Sou Tua Mãe. Esmeralda Bartolomeu continua a sua luta pela sobrevivência no caos de um seio familiar onde tem de lidar com um marido desempregado que só tem apego a futebol; um sogro de 80 anos tão ou mais adicto à marijuana que o seu filho mais novo; uma filha adolescente com um comportamento sexual mais desenvolvido (e desenvolto) que o seu; e um filho mais velho que é gay, e depois deixa de ser… e depois volta a ser… e depois deixa de ser outra vez!
Joaquim Monchique é Esmeralda Bartolomeu e assina, também, a encenação e adaptação de uma das peças de maior sucesso na Argentina, de autoria de Hernán Casciari. Aquando da sua estreia em 2010, Mais respeito que sou tua mãe, foi um êxito de bilheteira em Portugal e foi visto por mais de 35 mil espectadores."

Vai ser uma peça muito divertida e dada à gargalhada, de certeza!

Sábado em cheio!

O dia de ontem foi bem aproveitado!

Foi passado com amigos, em compras e no teatro!

Para começar fomos almoçar à Padaria Portuguesa. A ideia inicial era de irmos tomar um brunch ao café Nicolau mas, chegámos lá e havia fila e nós não tínhamos muito tempo...

Do almoço, seguimos para o Escape Hunt e tornamo-nos detectives por menos de uma hora (salvámo-nos em 53 minutos!) na sala do terramoto.


De seguida, fui para o Colombo e comprei umas coisitas. E estive quase a ir ao cinema que há um filme que quero mesmo ir ver. 

Mas, já que tinha companhia acabei foi por jantar por lá e fui ao teatro. Fui ao teatro Armando Cortez ver a peça «Os 39 degraus» que fazia parte desta minha lista!



Dessa lista de peças e espectáculos que quero ver já só me faltam quatro!

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Leitura de fim-de-semana! *

* Ou então não porque este fim-de-semana e a próxima semana serão noooon-stooooop!!! (Mas, por bons motivos!)


E eu que já estou cansada agora...

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Dilema!!!


Vi esta camisola na Mango e criou em mim um GRANDE impacto! Em consequência disso, tirei esta foto.

Mais tarde e com calma, lembrei-me da camisola e ponderei adquiri-la. Já estive numa outra Mango e andei à procura da camisola mas, depois quando a encontrei acabei por não comprá-la com o receio de estar a gastar dinheiro numa peça muito marcante a que depois não vou dar assim tanto uso...

Neste momento, que não estou perto de nenhuma loja estou convicta de que a quero comprar mas, tenho medo de que quando tiver perto de uma Mango volte atràs novamente.

Dilemas!

quarta-feira, 19 de abril de 2017

"Hello, my name is Sara and I'm a bookaholic!"

Os mais recentes são estes dois:


A sinopse apresenta-se como muitos momentos trágicos mas, espero que as personagens dêem a volta por cima e que este livro não seja triste e cinzento.


Por outro lado, temos um não-livro. Não-livro? O que é isso? Não é um livro com uma história. É um livro em que cada uma das páginas tem actividades diferentes e que devemos ser nós a fazê-las.


Já tenho outro livro deste «tipo» e do mesmo autor. Quando conheci estes livros achei-os a coisinha mais original e maravilhosa que alguém criou mas, a verdade é que ainda não fiz nada em nenhum deles. #shameonme


Contem-me: histórias sobre livros. Estes livros ou outros. 

terça-feira, 18 de abril de 2017

Quase que não actualizava isto aqui...

... com o corte de cabelo que me fizeram.

A foto da praxe, o antes (tirada mesmo no cabeleireiro):


E o depois (não tenho foto do antes virada de costas...):


Mas, tenho foto do depois e com esta e a primeira dá para ver muito a diferença no comprimento do cabelo mas, só queria mesmo que vissem isso. Não queria que vissem também a minha cara de acabada!!!


Digam lá se também não vos acontece repararem que em determinado fim-de-semana "todas" as pessoas decidem ir ao cabeleireiro (e nessa altura vocês põem-se a fazer contas de quando foi a última vez que lá foram e quando dão por ela apercebem-se que não sabem e daí deduzem que é porque está na altura de irem outra vez.) ou sou só eu?

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Ontem...

... numa espécie de «não há duas sem três» e para acabar o fim-de-semana prolongado fui ver:


Oito pessoas em palco que com recurso apenas às suas vozes fizeram música e divertiram-me muito durante hora e meia.

A frase mais emblemática do espectáculo é:«Music is life. Life is music!» E é EXACTAMENTE isso que é transmitido!!!

domingo, 16 de abril de 2017

Páscoa é tempo de chocolate!

Já vos tinha mostrado o ovo da Páscoa que tinha comprado aqui. E acabei por não comprar mais nenhum...

Mas, comprei umas moedinhas de chocolatinho bem engraçadas. Vejam-nas só:


Cheias de bonequinhos e muito coloridas!


Mas, tanto o ovo como as moedas foram comidas dias antes do dia de Páscoa. Porque hoje o que comi foi mesmo isto:


E já é o 2º gelado deste ano. Coisa nunca vista, uma vez que gelados para mim só mesmo no Verão e quando está muitooo calor!!!

E, não podia deixar de partilhar o coelhinho (que não é de chocolate) que me ofereceram:


É daqueles saquinhos que dão cheiro e que dá para colocar num roupeiro, por exemplo.

Tenham uma Páscoa FELIZ!!!


sábado, 15 de abril de 2017

Quem é que também é como eu?

E compra revistas por causa dos livros grátis que elas trazem?


AHAHAH

Isto só prova que o meu amor por livros supera o das revistas (as dúvidas também já não eram muitas!).

sexta-feira, 14 de abril de 2017

E para hoje o que há?

Um quarto de hotel, duas pessoas. Um espaço claustrofóbico para Eddie e May, que vivem uma daquelas dicotomias amor/ ódio.


É mesmo ao pé do teatro onde fui ontem mas, do outro lado da rua. É a antepenúltima vez que esta peça sobe ao palco.


quinta-feira, 13 de abril de 2017

Para dar início a este fim-de-semana prolongado...

Vou ver:



Sobre o que é?

Leiam a sinopse:

"Ana e Jaime conhecem-se há mais de dez anos. Amam-se mas não estão juntos. As suas vidas não combinam, não encaixam. Tentam então matar o amor. Sem amor as suas vidas tornar-se-iam certamente mais eficientes, mais adequadas às exigências do quotidiano. Porém, entre viagens, trabalho, contas por pagar, rendas, recordações, encontros e desencontros, o que sentem um pelo outro teima em voltar a despontar."

Espero que falham nestas tentativas...

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Leituras de 2017 #6

A primeiríssima coisa em que reparei neste livro e que captou a minha atenção foi mesmo o facto de ter o meu nome no título.

Peguei no livrito, li a sinopse e fiquei surpreendida como é que era um livro com uma história sobre a II Guerra Mundial, que é um dos temas mais interessantes para mim da História Mundial e que em nada fazia adivinhar pela capa...

Claro que o comprei e pensei mesmo:"Quando é que eu o vou ler? Ou será um de muitos que ficam na minha estante à espera de ser lido (e que depois acaba por não ser)?". Felizmente, quando acabei o  livro anterior olhei para este e pensei:"É agora! Chegou a tua vez!" E pronto assim fui eu começar a ler um livro que tinha esperanças de gostar...

Comecei por levar o livro comigo numa manhã em que estive à espera de uma consulta (a manhã toda) e, como tal o resultado foi que li logo 100 páginas na primeira vez que peguei no livro. Gostei do que li e até me senti embrenhada na história. E foi assim sempre! Sinto normalmente que sou uma leitora fácil de levar porque «faço o caminho que o escritor traça para o leitor» sem estar a pensar no que vem a seguir. Basicamente: vejo o que está à frente. Mas, um dia, estava a ler e algo que eu nunca pensei aconteceu... Pior: tive que parar com a leitura nesse momento! O que iria acontecer a seguir? Lembro-me que a partir daí, por ser «a vida que manda em nós», abrandei o ritmo de leitura mas, nessa altura lembro-me que o mistério estava mesmo no ar!!!

Considero que a partir daí a história passa a focar-se mais numa personagem. Quando até então a história tinha-se focado noutra. Considero, portanto que podemos dividir o livro em duas partes, sendo que a segunda é muito mais intensa e 100% dedicada a uma personagem!!!

Gostei muito do livro! Quando o comecei a ler tinhas as expectativas em alta e já pensava que ia gostar muito do livro mas, isso podia não acontecer... Mas, felizmente acabou por acontecer e é giro que no meio disto tudo a história desenrolou-se de uma maneira diferente daquela que eu estava à espera.

Mesmo assim, acho que para o livro ficar tão surpreendente tiveram que escrever um desfecho para uma determinada personagem que eu não acho muito credível mas, pronto não sou eu a autora do livro e gostei muito de tudo.

Neste momento, ainda não o posso dizer com clareza porque acabei de ler o livro ontem mas, acho que foi um livro que me marcou e tem passagens que vão ficar na minha memória durante uns tempos. E arrisco a escrever que foi um dos livros que mais gostei de ler.

Posto isto: sim, aconselho a sua leitura. Principalmente, a quem for fã de livros relacionados com a II Guerra Mundial.


No meio disto tudo, acho engraçado, que tenha dado por mim, mais do que uma vez, a pensar que o escritor era norte-americano ou polaco. Mas, invariavelmente, quando via o nome dele na capa lembrava-me que é português. Considero que é um livro que tem tudo para ter sucesso no estrangeiro!

E, entretanto hoje, já comecei a ler outro livro! Estou imparável!!!

terça-feira, 11 de abril de 2017

Outra encomenda de livros!

A semana passada recebi uma encomenda de livros da FNAC.

Hoje foi dia de receber uma encomenda que tinha feito antes da da FNAC mas, na WOOK.

Nesta encomenda, escolhi mais livros. Querem saber quais foram? Vejam:


Cruzei-me com este livro à anos e a capa mexeu comigo. Depois li a sinopse e fiquei conquistada! É um livro que não é muito comum ver à venda.

Se quiserem ler a sinopse deste livro carreguem aqui.

Um título muito original!!! E de vez em quando oiço falar deste livro por isso decidi trazê-lo para a minha estante.


Se também quiserem ler a sinopse deste livro é só carregarem aqui.

Outro livro que quando os meus olhos bateram nele ficaram... E o título... Tão adequado!


Como o desconto que eu podia usufruir nesta encomenda incluia os livros com menos de 18 meses (algo raro) decidi logo trazê-lo. A sinopse está aqui.

Mais uma outra novidade que aproveitei logo para trazer para a minha estante. Não posso dizer que o título é original mas, gostei da capa!


Também a sinopse deste está disponível aqui.

Portanto, tenho todo um novo carregamento de livros para ler. Yey! Mesmo a calhar. Hoje, dia em que acabei de ler um livro que ADOREI recebo este "carregamento" de 4 livros!!!

segunda-feira, 10 de abril de 2017

As próximas peças que quero ir ver!!!

Quase que, cada vez que, vou ver uma peça de teatro volto para casa a querer ir ver mais uma. Posto isto a situação neste momento é que quero ir ver muitas!

> "Tentativa para matar o amor" no Teatro Aberto:


Já só está em cena mais uma semana.

> "Os 39 degraus" no Teatro Armando Cortez:


Estreou à pouco tempo por isso ainda tenho tempo!

> "Quem tem medo de Virginia Woolf?" no Teatro da Trindade:


Ainda nem estreou! Mas, está quase!

> "Loucos por amor" no Teatro da Comuna:


Acho que nunca fui a este teatro e só este fim-de-semana soube desta peça.

> "Top Genius" na Academia Almadense:


Nem tenho que ir a lado nenhum porque a comédia veio até à minha cidade.

> "Voz da Razão" no Coliseu Lisboa: 


Este bilhetinho já está comprado para não falhar. Adoro o LFB!

> "Mais respeito que sou tua mãe!" no Casino Lisboa:


Já comprei 2 bilhetes (um para mim e outro para a minha mãe). Vai-me doer a barriga de tanto rir, de certeza!


E desse lado, já alguém viu alguma destas peças? Ou gostava de ir ver?

domingo, 9 de abril de 2017

O meu fim-de-semana resume-se a esta foto:



Este foi o fim-de-semana para celebrar um aniversário. Um ano depois deste post... Não é o aniversário de uma pessoa qualquer e por isso é sempre muito bom!!! Deu para jantar bem e falar muito. Depois deu para ir para um bar beber (nada alcóolico para mim!) e dançar. E por fim continuar a dançar all night long! Soube mesmo bem!!!

São estes momentos para os quais devemos viver. São estas algumas das pessoas que me fazem bem. E, sem dúvida alguma, que é com esta "vibe" que devemos viver! Acho sempre "este" jantar de aniversário uma oportunidade de aprendizagem para mim isto porque sou sempre a mais nova que está presente.

E diz que este jantar+saída foi um aquecimento/treino para a celebração do aniversário que vai haver no fim do mês (e que é do irmão desta aniversariante). Já estou intrigada! E em preparação!

sábado, 8 de abril de 2017

Deparei-me com este vídeo no facebook!

E apesar de me aperceber que dia, após dia o meu feed de facebook se vai enchendo de vídeos e mais vídeos este captou a minha atenção e eu fiz questão de o ver. E digo-vos já que não me arrependi NADA!


Inicialmente, só sabia que o vídeo estava relacionado com criatividade e parentalidade. Mas, depois de o visualizar percebi que ele ia muito mais além! É um vídeo simples. Sem palavras. Mas, ao mesmo tempo muito rico e forte. Confesso que me inspirou! 

É um vídeo que retrata o dia-a-dia. Retrata o quanto a vida «nos engole». Estamos tão focados no aqui e agora, no trabalho das 9h às 5h. E não reparamos no que está à volta. Vivemos para trabalhar. Vivemos focados no trabalho. Sem energia! Sem inspiração. O mundo que nos rodeia até pode ser colorido mas, nós, sem energia, cansados e frustrados vemo-lo cinzento. E depois contagiamos quem está à nossa volta. E o pior é quando contagiamos as gerações mais novas. E também elas perdem a energia. A vontade de viver. Pior: a criatividade!

Sem dúvida, um vídeo que faz pensar!!!

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Com um dia de atraso mas...

... aqui está a desta semana!


Eu gosto da Visão!

E ainda gosto mais quando ela vem com um livro!


Já é o 4º livro  desta colecção. Eu só tenho os 3 últimos mas, também já li a história do primeiro por isso não tenho intenções de o comprar só para a colecção ficar completa.


Se bem que as capas desta colecção não me deixam indiferentes!!!

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Promoções de Primavera?

No fim-de-semana passado a FNAC online fez promoções (se eram de Primavera ou não, sinceramente não sei). E eu aproveitei! Eram promoções em todos os livros (fossem mais ou menos recentes). E não era só num número limitado de artigos seleccionados por eles. A loucura! Mas, quando eu acedi ao site, nessa semana, já tinha feito outras duas encomendas de livros. Por isso fui contida com esta encomenda e só comprei 2 livros.

E sabem quais foram? Um deles foi um livro que comecei a ver fotos dele recentemente no instagram. Inclusivé, nunca o tinha visto ao vivo até a minha encomenda chegar. E o livro foi lançado o mês passado! Ou seja, comprar um livro recente em primeiro mão com desconto e sem defeitos é algo raro.

O livro a que me estou a referir é este:


Achei o título irreverente. E a capa é nos mesmos moldes. Um livro relacionado com o amor e que tem a seguinte sinopse:

«Conheço muitas mulheres que escolhem ficar em relações de merda porque é muito mais fácil viver assim do que enfrentar o mundo sozinhas. Do que terem de continuar a procurar. Talvez essas relações só sejam de merda aos meus olhos. Talvez, para elas, sejam exactamente aquilo que procuram. Mas eu não nasci para isso. Nasci para amar (e ser amada) profundamente. Vou continuar a procurar, mesmo que continue a cair de cabeça no chão. Vou sempre dizer sim ao amor. Às borboletas no estômago. Às pernas a tremer. Quero viver todas as sensações que o amor me puder oferecer. 

E nunca, nunca, nunca me vou contentar com menos do que isso. Neste livro cada Capítulo corresponde a uma história. Poderia dizer-vos que são ficcionais, mas não são. Se são 100% reais? Também não. Porque, por vezes, fantasiar um pouquinho aquilo que vivemos torna-nos mais felizes.» Helena acredita no amor, apesar das relações fast-food que muitas vezes sente na pele. 

Enquanto homens como o Sem Cojones, o Flash, o Velho, o Poeta ou o Telecomunicações vão passando pela sua vida sem deixar nada para contar a não ser histórias caricatas e, por vezes, inverosímeis, Helena continua à procura sem se deixar cair na tentação de se acomodar. Ao seu lado as suas amigas Beatriz, Olívia e Laura também vivem relações marcadas pela traição ou pelo abandono, mas sempre com a ideia de que um dia o «Mr. Right» vai aparecer. A jornalista Helena Magalhães, num registo irónico e actual, apresenta-nos um livro que nos faz reflectir sobre as relações amorosas nos dias de hoje em que as redes sociais marcam o ritmo e as juras de amor são feitas por Whatsapp, os «amo-te» vêm em forma de fotografia pelo Instagram ou que os ex-namorados e as ex-namoradas dos ex-namorados convivem alegremente no Facebook, assistindo à nossa vida como se de uma novela se tratasse. 

Porque o amor é mais do que isto e há que dizer «não» até que a vida nos dê a entender que chegou o momento de dizer «sim». Um «sim» apaixonado, confiante e absoluto.»

O outro livro que eu não conhecia e que só passei a conhecer quando estava no site da FNAC e ele me apareceu tem o título de «Aqui entre nós» e aquilo que realmente me cativou foi esta MARAVILHOSA capa:


A história também me cativou e acho que por me fazer lembrar muito os livros de Dorothy Koomson. A sinopse é esta: 

«Desde sempre que Tamsin e Michelle são inseparáveis. Claro que Tamsin quer o melhor para a amiga. Quando lhe chega aos ouvidos o boato de que Patrick, o marido de Michelle, lhe é infiel, ela põe em prática um plano ousado: utiliza a sua assistente, Bea, como engodo, para ver o que acontece…

Não lhe ocorreu, todavia, que a fiel Bea pudesse ter outras intenções. Além disso, a farsa parece ter ganho vida própria e, de repente, Tamsin dá por si enredada numa grande teia de mentiras. Consumida por sentimentos de culpa, Tamsin encontra-se perante uma situação delicada: conseguirá ela contar a verdade a Michelle sem arruinar a vida de todos?

Segredos, manipulação e traições: Aqui Entre Nós é uma comédia de enganos que nos leva a refletir sobre a grande questão: existe alguém em quem possamos verdadeiramente confiar?».

Ainda tenho o meu livrinho para ler mas, depois tenho aqui dois livros que me parecem bons companheiros. Espero que se mostrem duas boas compras!

terça-feira, 4 de abril de 2017

É FINALMENTE esta noite!!!


Não fui ao último concerto que ele deu em Portugal mas, desta vez, não queria MESMO que isso acontecesse e por isso:


Aqui vou eu em modo concerto só para meninas! Seremos as FANTASTIC FOUR (duas que vão à segunda dose de Bruno Mars em Portugal e outras duas que quase falhavam o segundo concerto dele em Portugal). 

ADENDA: Acabámos por ser as fantastic 5!

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Silêncio! Vamos gravar... Som! Câmara! Acção! #39

Este fim-de-semana, a SIC decidiu passar um filme que entretém mas, que não é assim nada de especial. Não interessa! A mim, pelo menos, despertou-me interesse e vi-o.

O filme de que estou a falar é este:

«Não há duas sem três»

Ora bem, a história é esta: começamos por seguir a vida de um casal que está casado. (AHAHAH Mas, esta parte é importante!) De seguida, passamos a seguir um casal de namorados? E o que têm eles em comum? O homem.

Ah pois! O marido engana a mulher. Já não me lembro como (e vi o filme à dias) elas descobrem e passam a encontrar-se com uma frequência maior do que a que seria expectável. Na verdade, é a mulher enganada que força mais do que uma vez estes encontros. Ok, elas acabam por concordar em traçar um plano de vingança! Entretanto, aparece o irmão da mulher enganada que começa a interessar à ex-amante e vice-versa... Já estão a perceber, não é? Enquanto o plano de vingança das duas mulheres decorre elas descobrem uma segunda amante e vai de lhe contar que ela também está a ser enganada e de repente, passa de um plano de vingança de duas para três mulheres.

Uma amizade improvável mas, que acaba por acontecer! E, no meio disto tudo, o que tem piada é que destas três mulheres, as solteiras, acabam por arranjar namorados!

É um filme que se vê sem nos aborrecer mas, que tem partes surreais apesar de a história não ser fruto completo da imaginação!

domingo, 2 de abril de 2017

Planos para Domingo!

A peça que eu escolhi ir ver hoje é esta: 



« Dois homens completamente nús»

Este é o resumo que está disponível sobre a peça:

« André Chaves (Miguel Guilherme) é um homem sério, de conduta irrepreensível e reputação imaculada: advogado conceituado, marido fiel, pai de dois filhos. Daí a sua total incredulidade quando, certo dia, acorda nu na sua sala de estar, deitado ao lado de outro homem (Jorge Mourato), também ele nu, sendo o último um dos associados da firma de advogados onde trabalha há anos. Saídos de uma espécie de blackout, ambos têm dificuldade em perceber o que aconteceu e nenhum consegue arranjar uma explicação para o sucedido, tampouco lembrar-se do que os poderá ter levado ali. O transtorno aumenta com a entrada em cena da mulher de Chaves (Sandra Faleiro). Perante a total incapacidade de justificar e compreender a sua presente situação, André Chaves vai inventar tudo para tentar salvar o seu casamento e para provar uma verdade que ele próprio não sabe qual é.

Levado a cena pela primeira vez em outubro de 2014, Dois Homens Completamente Nus, no original Deux Hommes Tout Nus, é da autoria do dramaturgo, humorista e actor Sébastien Thiéry, e valeu-lhe a nomeação de melhor dramaturgo aos Moliére – Prémios de referência do teatro Francês – em 2015. O espectáculo foi um sucesso junto da crítica e do público em França e chega agora a Portugal, sob a direcção de Tiago Guedes e com Miguel Guilherme e Jorge Mourato na pele destes dois homens confusos e completamente… Nus.»

No outro dia, quando fui assistir à peça «Tenho um Mariachi debaixo da cama» vi os dois actores sair do teatro e tinham estado a representar esta peça. Entretanto, já vi um vídeo onde dá para ver um mini-excerto da peça. Vamos ver o que sairá dali amanhã!

sábado, 1 de abril de 2017

No último fim-de-semana vi 2 peças!

No Sábado, à noite fui ver:


Esta peça só está em exibição neste horário e na altura em que comprei o bilhete, esta era a última sessão mas, não sei se entretanto haverá mais sessões...

São 3 actores nada conhecidos que estão à frente desta peça. Conseguiram fazer-me rir (não em todas as situações) e conseguiram também que eu não olhasse para o relógio durante a peça. Mais, nunca me deu o sono durante a mesma (o horário poderia ajudar a que isso acontecesse).

Logo o início nos faz rir (a voz off que nos relembra que devemos desligar o telemóvel). E todas as histórias, com as diferentes personagens nesta peça são a puxar para a gargalhada.

No Domingo, fui também à última sessão de «Vanya, Sonia, Masha e Spike»: 


Uma peça muito gira! Gostei mais do que esperava. Novamente, nem dei pelo tempo passar (mesmo a peça tendo duas partes separadas por um intervalo). Uma história central mas, que acaba por ir de encontro a outros histórias e com as quais nos podemos rever.


A única coisa que não gostei nem foram aspectos relacionados com a peça mas, sim com o público: desde várias peças a terem os telemóveis com som e a tocar várias vezes durante a peça (fazendo o actor Heitor Lourenço parar a peça) - quer dizer, todos nos podemos esquecer de tirar o som/desligar o telemóvel mas, somos lembrados disso no início da peça e além disso com tantos telemóveis que tocaram a pessoa quando os ouve não se lembra que o seu telemóvel também está com som? E não se apressa a tirar o som ou desligá-lo quando se apercebe que é o seu telemóvel que está a tocar?
A outra situação foi uma senhora que estava perto de mim estar a fazer comentários sobre a peça em voz alta. Comentários descabidos e que não acrescentavam nada. Será que não tinha a noção que estava a falar alto? Não sabe que ir ao teatro não é igual a estar em casa a ver tv e fazer comentários?


Já tenho mais peças debaixo de olho! Uma delas é também no Teatro Armando Cortez. É a peça «39 graus».
Hoje não fui ao teatro mas, amanhã já mudo isso!